sábado, março 03, 2012

Do leftismo

Ao ler uma entrevista a dois "free market individualist anarchists" que se intitulam "leftists", restam-me dois comentários:

1) Tenho pena que o entrevistador não tenha aflorado a questão do mérito. A questão biológica é inerentemente anterior a quaisquer considerações filosóficas/morais/whatever, nem que seja por balizamento destas últimas.

2) Que "an economic system characterized by peaceful, voluntary exchange" é uma utopia que não se torna possível com a abolição do estado, principalmente em sistemas que prevêem propriedade privada. Mesmo assumindo que o 'mercado' não iria permitir desigualdades em termos de uma média rolante (que permite), não as impede em períodos de tempo significativos em relação à esperança média de vida humana. Isto contraria, não só a 'voluntary exchange' como ainda coloca em causa o 'individualism'.

Não me parece que, historicamente, estes entrevistados se possam chamar de 'leftists'.

Sem comentários: