sexta-feira, março 02, 2012

Ciência?

Anda um grande burburinho por uma 'artigo científico' onde a autora escreve que quem aceita que se aborte um feto, deverá, por corolário, aceitar que se mate um recém-nascido. Sumariamente, o argumento será que o recém-nascido também não tem consciência da sua existência.

Em primeiro lugar não se trata de um 'artigo científico' mas antes um artigo sobre ética feito por uma estudante de filosofia. Um tratado de moral, portanto.

Em relação ao conteúdo, é uma opinião da qual discordo. Não sei onde de deverá traçar a linha para permitir um aborto. Contudo, para mim é claro que, no prazo estabelecido pela lei não considero infanticídio a prática da IVG pelo facto de que não estamos a falar de um ser com vida autónoma capaz de respirar e com os mecanismos básico de suporte à vida. O recém-nascido tem. O que acabei de dizer não o considero ciência mas uma apreciação moral da IVG.

Sem comentários: