terça-feira, dezembro 25, 2012

Senador acrobata

No Ípsilon de 14 de Dezembro podem encontrar uma entrevista feita pelo António Rodrigues a Vargas Llosa para a qual quero chamar a atenção. Não para o escritor mas para o entrevistador que obrigou o primeiro a uma acrobacia daquelas de acabar com a cara no chão de tão mal executada.

domingo, dezembro 23, 2012

Caridadezinha

Assim de repente lembro-me de 3 grupos que apoiam a caridade: direita conservadora (católicos e afins), direita liberal, e fascistas. Corolários deixo para cada um.

A sério

Interrompo o interregno para falar do controlo de armas após a chacina de mais de 2 dezenas de crianças.

Vamos imaginar que eu tenho um sistema de protecção da minha casa baseado num conjunto de lança-chamas (achais esquisito? ide ver o canal NG para relativizardes). Para tal, após considerar que poderia ser atacado pelos negros, pelo governo, pelos hippies e por uma horda de zombies (continuais a achar esquisito? a sério, ide ver o canal NG), chego à conclusão de que necessito de um tanque de 10 m3 de combustível altamente inflamável. Para tal. coloco-o no meu quintal. A cegueira ideológica levaria alguns a achar que tal não deveria ser proibido ou, pelo menos, regulado.

Achais porventura tal exemplo hiperbolizado? Que dizer de alguém que mantém em sua posse armas de guerra? Não falamos de armas de protecção pessoal, falamos de armas usadas em cenários de guerra de há um ano atrás.

A liberdade de uns termina onde acaba a de outros. Por vezes essa fronteira não coincide com a linha divisória do quintal. Percebeis?

quinta-feira, outubro 25, 2012

Hum...

alguém percebeu porque francisco josé viegas está a ser 'chorado' pela sua saída do governo? deixou algo feito ou é apenas empathy?

sábado, outubro 20, 2012

demita-se

adolfo mesquita nunes está em modo de "agarram-me senão vou-me a eles" sendo o "eles" o parceiro de coligação. logo ele que pertence à comissão de orçamento, finanças e administração pública.

sexta-feira, setembro 28, 2012

Um bom resumo

"Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida clarifica posição sobre a eutanásia: são contra quando é a pedido do doente, mas são a favor quando é a pedido da troika."

Pelo João josé Cardoso (aqui)

quinta-feira, setembro 20, 2012

It's business stupid

As palavras da isabel jonet não devem surpreender. Ela está apenas a tratar do seu negócio, nada mais. Afinal, a caridade é o valor da direita, sempre foi, desde os tempos salazarentos. A puta da caridade sabem?

sábado, setembro 08, 2012

Um perigoso esquerdista

sexta-feira, agosto 24, 2012

Repressão e vítimas

Polícias americanos em número de seis matam UM sem-abrigo que sofria de distúrbios mentais com 46 tiros. A polícia foi chamada ao local pelo proprietário de uma loja, aborrecido com a presença do sem-abrigo. A vítima empunhava uma faca. 3 coisas a reter:
   1) O estado é repressivo
   2) O estado é especialmente repressivo ao serviço do proprietário
   3) Para os defensores do porte de arma, nomeadamente de fogo, não percebo como isso poderia ajudar.

Boa noite.

Em relação à RTP...

... é mais ou menos isto.

segunda-feira, agosto 20, 2012

Here goes a libertarian*

*aqui vai um liberal


sábado, agosto 18, 2012

São tão queridos e fofos

Não costumo responder aqui a posts do 31 da armada ou forte do apache porque tipicamente são fracos e tão corporativos como os tão odiados abrantes. Nem mesmo o humor amarelado do rodrigo deus permite salvar seja o que for. Contudo hoje perante um post rídiculo do nuno gouveia, eis-me deparado com a não activação dos comentários. Vejo-me forçado a responder por aqui.

Segundo o gouveia é autoritátio por parte de louçã anunciar a saída e fazer uma sugestão relativamente à estrutura de coordenação. Se o gouveia tivesse lido sequer o comunicado veria que em nenhum lado aparece o nome de semedo ou cristina. Estes nomes foram ventilados pela comunicação social no início do mês. Depois fala da ausência de vozes dissonantes e tem apenas a lembrança do DO e tavares. Pesquise caro gouveia. Informe-se, para não escrever posts apatetados.

Por fim, apenas dizer que com a saída de louçã do cargo de coordenador o líder partidário há mais anos à frente de um partido será... paulo portas. O mesmo paulinho idolatrado pela malta do 31 da armada. Fico à espera que o gouveia faça outro post daqueles para exigir que o regime salazarento de portas tenha um fim.

Nota: gostaria que o louçã tivesse saído da posição de coordenador há alguns anos.

quinta-feira, agosto 16, 2012

Job Creators

Nick Hanauer, auto proclamado capitalista e 'fazedor' de empresas traz uma nova perspectiva sobre os mitos de job creation. Aprecio particularmente a analogia com a evolução. De notar que a divulgação deste seminário esteve (está?) censurada pelo TED.

terça-feira, agosto 14, 2012

Memória

O Miguel Madeira faz autêntico serviço público no seu blog. Um excelente exemplo é aquele que transcrevo aqui:

"A respeito de quem é irmão de quem, convém recordar quem é que, a 23 de Março de 1933, votou no parlamento alemão para entregar plenos poderes a Adolf Htler.
A favor:
  • Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães (óbvio)
  • Partido do Centro (católico; embora tenha sido recriado após 1945, grande parte dos seus antigos militantes foi para a CDU)
Contra:
  • Partido Social-Democrata
  • Partido Comunista (tecnicamente, não votou contra porque os deputados estavam todos presos)"

Catai-vos

Parece que assustaram a progenitura do passos coelho durante uma manifestação. Diz-se que a criança até chorou. E eu que não me esqueço das crianças ciganas a chorar e a berrar porque os pais estavam a ser arrastados pelo corpo de intervenção ao manifestarem-se pacificamente por ficarem sem casa.

Deixem-se de merdas.

Nota: qualquer um dos casos tem o meu desacordo.

sexta-feira, agosto 10, 2012

Trivialidades

zita seabra, entrevistada pelo detestável crespo, fala de uma história de espiões, envolvendo o pcp, a rda e a fnac. não me surpreenderia; seria apenas o pcp a usar os estratagemas normais dos seus aliados soviéticos; mas se assim foi então que se apurem responsabilidades e se for o caso, que se meta dentro a seabra por cumplicidade e omissão. certo? faz sentido. se não for verdade que se meta dentro a seabra por difamação. isto a mim parece-me uma situação em, que se a justiça funcionasse, eu ficaria contente com o desfecho.

o pessoal da direita saudosista (mais ou menos declarada) tem frémitos e espasmos de prazer. logo eles que acariciavam as suas relações atlânticas, também ricas em histórias de espionagem e colaboração com facínoras autoritários. bocejo.

sábado, julho 28, 2012

Do empreendorismo

Este post do João Vasco não é novo mas, nos dias que correm, tornou-se ainda mais pungente. Este post nasceu de um outro do Miguel Madeira que também é vivamente recomendado.

quinta-feira, julho 26, 2012

heróis de fel

Um artigo sobre ayn rand, uma das 'pensadoras' mais referenciadas pelos liberais. Dá para ver porquê.

domingo, julho 22, 2012

For the unintiated


I was down in New Orleans shooting in the Lower Ninth Ward two years after Hurricane Katrina and things were still a mess. A guy comes by in a pick up truck, rolls down his window, and says: “Can you believe we’re in America?” It struck me that that devastated Ninth Ward landscape looked typical to me (and hence familiar) of many inner city environments, especially Detroit, I’d already been in. It wasn’t foreign. To the uninitiated who normally don’t go into (or inhabit) these places…  It was a shock. As it was for me the first time I drove through Gary, Indiana, or Detroit in 1999. Yes, it was hard for me “to believe we were in America”
Jeff Brouws 
 (here)

Liberty

1 semi-automática (60 rounds per minute)
1 espingarda de calibre 12
2 glock (calibre 0.40)
300 balas de caçadeira
6000 cartuchos de balas
Material explosivo

Esta é a lista de compras do atirador do Colorado que entrou a matar num cinema aquando da estreia de  um potencial blockbuster. Parece que é um direito que ele tem.

Absolutos

O editorial do público de hoje, para falar da crise espanhola e contaminação* a portugal, recupera a jangada de saramago expondo-a como 'absolutamente errada'. Porque seria um 'manifesto contra a integração europeia e  favor da busca de uma outra identidade ibérica'. Não percebo como isto está absolutamente errado a não ser nas mentes de quem gosta de uma boa divisão hegemónica entre dois opostos. Por mim, teria preferido que portugal e as restantes culturas ibéricas tivessem reflectido sobre a pertença ibérica ainda antes de uma pertença de fronteiras mais amplas que é a europa. Isto porque acho portugal como sendo ibérico e europeu. Parece então, estar 'absolutamente certo' vivermos em fronteira com uma invenção franquista e continuada por uma causa real de franceses.

*o uso de vocabulário relacionado com a infectolgia terá certamente um propósito orwelliano quando associado à crise económica.

sábado, julho 21, 2012

Warholiano

A notícia é antiga mas relevante. A arte de warhol consistia na massificação, na seriação, na cópia. Que dizer do mercado que altera essa conceptualização? Encontro ainda mais ironia neste título que nos valores atribuídos a obras de dadaístas (se bem que é destes o reino do sarcasmo no além-vida pois atingiram o objectivo que pretendiam, isto é, a demonstração da preversão).


Centenas de caixas Brillo atribuídas a Warhol são cópias

Morrissey


Pedro Mexia escreve sobre Morrissey e transcrevo na totalidade porque concordo na totalidade.

(...) Converti-me de imediato, até ao fanatismo, e assim me conservo, duas décadas depois. Stephen Patrick Morrissey chama aos seus fãs “discípulos”, e é fácil perceber porquê. Gostar de The Smiths nunca foi apenas uma questão musical mas uma maneira de ver o mundo, intensa, um pouco patológica, romântico-tardia, pessimista, arisca. Eu não sabia que havia gente a escrever canções assim, terrivelmente certeiras, agudas, ferozes. Em geral, a música popular traduz as angústias pós-adolescentes de forma directa e bastante eficaz, mas Morrissey é um génio da linguagem indirecta. Ele usava palavras rebuscadas, alusivas, obscuras, estruturas quebradas, uma métrica improvável e um vocabulário insólito. E tantas referências, de Wilde ao “Free Cinema”, de romances “out of print” a cinema de vanguarda, da imprensa tablóide a John Betjeman. 


Foi essa força verbal, um pouco misteriosa, que me atraiu logo. As canções contam experiências comuns, banais mesmo, mas a abordagem é estranhíssima, como não conheço outra, antes ou depois, citações a despropósito, divagações lúdicas, epigramas rimados, vinganças cifradas, “found sounds”. Não acho interessante chamar “poesia” às “lyrics”, que obedecem a uma lógica diferente, mas quase nada em poesia se comparava àquilo, mesmo na poesia inglesa, de que gosto tanto. Era como se estivéssemos a ouvir uma língua que nunca tínhamos ouvido. E pensem nos assuntos convocados: assassinos de crianças, reitores sádicos, rufias, a Rainha de Inglaterra, poetastros, homens virgens, encontros em cemitérios, vigários chanfrados, desastres de automóvel, mulheres corpulentas, homicídios de disc-jockeys, namoradas em coma. Em todas estas canções, nunca sabemos exactamente o que é patente e o que fica latente, tanto podemos estar no domínio do descritivo como do alegórico, cada um que interprete como quiser. 


(…) Num dos meus temas favoritos dos The Smiths, “Rubber Ring”, fala-se daquelas canções que “ultrapassámos”, ou que julgamos que ultrapassámos, “Yes, you’re older now, and you’re a clever swine”; aquelas canções que um dia nos comoveram e nos salvaram a vida e que entretanto esquecemos. Morrissey recorda: “They were the only ones who ever stood by you”, foram as únicas que estiveram ao nosso lado. E pede para não nos esquecermos delas, para não nos esquecermos dele: “Hear my voice in your head and think of me kindly”, ouve a minha voz e mostra-te grato.

Politicamente correcto

Parece que morreu um comunicador nato e eu a pensar que tinha morrido um ex-ministro do estado novo. Muito me ensinam estes.


(alguém já fez o exercício de memória; e mais outro)

Chama-se consequência

Um dia os mossos desse mundo não serão suficientes. Nessa altura, as alminhas que defendem o livre acesso e porte de armas devem encarar o problema de frente.

quarta-feira, julho 18, 2012

For the fucking fun of it


November 3, 2004


Fuck the South. Fuck 'em. We should have let them go when they wanted to leave. But no, we had to kill half a million people so they'd stay part of our special Union. Fighting for the right to keep slaves - yeah, those are states we want to keep.


And now what do we get? We're the fucking Arrogant Northeast Liberal Elite? How about this for arrogant: the South is the Real America? The Authentic America. Really?


Cause we fucking founded this country, assholes. Those Founding Fathers you keep going on and on about? All that bullshit about what you think they meant by the Second Amendment giving you the right to keep your assault weapons in the glove compartment because you didn't bother to read the first half of the fucking sentence? Who do you think those wig-wearing lacy-shirt sporting revolutionaries were? They were fucking blue-staters, dickhead. Boston? Philadelphia? New York? Hello? Think there might be a reason all the fucking monuments are up here in our backyard?


No, No. Get the fuck out. We're not letting you visit the Liberty Bell and fucking Plymouth Rock anymore until you get over your real American selves and start respecting those other nine amendments. Who do you think those fucking stripes on the flag are for? Nine are for fucking blue states. And it would be 10 if those Vermonters had gotten their fucking Subarus together and broken off from New York a little earlier. Get it? We started this shit, so don't get all uppity about how real you are you Johnny-come-lately "Oooooh I've been a state for almost a hundred years" dickheads. Fuck off.


Arrogant? You wanna talk about us Northeasterners being fucking arrogant? What's more American than arrogance? Hmmm? Maybe horsies? I don't think so. Arrogance is the fucking cornerstone of what it means to be American. And I wouldn't be so fucking arrogant if I wasn't paying for your fucking bridges, bitch.


All those Federal taxes you love to hate? It all comes from us and goes to you, so shut up and enjoy your fucking Tennessee Valley Authority electricity and your fancy highways that we paid for. And the next time Florida gets hit by a hurricane you can come crying to us if you want to, but you're the ones who built on a fucking swamp. "Let the Spanish keep it, it’s a shithole," we said, but you had to have your fucking orange juice.


The next dickwad who says, "It’s your money, not the government's money" is gonna get their ass kicked. Nine of the ten states that get the most federal fucking dollars and pay the least... can you guess? Go on, guess. That’s right, motherfucker, they're red states. And eight of the ten states that receive the least and pay the most? It’s too easy, asshole, they’re blue states. It’s not your money, assholes, it’s fucking our money. What was that Real American Value you were spouting a minute ago? Self reliance? Try this for self reliance: buy your own fucking stop signs, assholes.


Let’s talk about those values for a fucking minute. You and your Southern values can bite my ass because the blue states got the values over you fucking Real Americans every day of the goddamn week. Which state do you think has the lowest divorce rate you marriage-hyping dickwads? Well? Can you guess? It’s fucking Massachusetts, the fucking center of the gay marriage universe. Yes, that’s right, the state you love to tie around the neck of anyone to the left of Strom Thurmond has the lowest divorce rate in the fucking nation. Think that’s just some aberration? How about this: 9 of the 10 lowest divorce rates are fucking blue states, asshole, and most are in the Northeast, where our values suck so bad. And where are the highest divorce rates? Care to fucking guess? 10 of the top 10 are fucking red-ass we're-so-fucking-moral states. And while Nevada is the worst, the Bible Belt is doing its fucking part.


But two guys making out is going to fucking ruin marriage for you? Yeah? Seems like you're ruining it pretty well on your own, you little bastards. Oh, but that's ok because you go to church, right? I mean you do, right? Cause we fucking get to hear about it every goddamn year at election time. Yes, we're fascinated by how you get up every Sunday morning and sing, and then you're fucking towers of moral superiority. Yeah, that's a workable formula. Maybe us fucking Northerners don't talk about religion as much as you because we're not so busy sinning, hmmm? Ever think of that, you self-righteous assholes? No, you're too busy erecting giant stone tablets of the Ten Commandments in buildings paid for by the fucking Northeast Liberal Elite. And who has the highest murder rates in the nation? It ain't us up here in the North, assholes.


Well this gravy train is fucking over. Take your liberal-bashing, federal-tax-leaching, confederate-flag-waving, holier-than-thou, hypocritical bullshit and shove it up your ass.


And no, you can't have your fucking convention in New York next time. Fuck off.

Da origem


Robert Adams fotografou um oeste americano pálido, drenado pelo progresso. Esta fotografia mostra a epopeia medrosa de um povo levado a acreditar ser capaz de tudo mas à custa de uma grande e informe massa de resignados e com complexos de inferioridade (daqueles que degeneram em moralismo).

Do bispo

A. O bispo tem razão (só quem não conhece como funciona o PSD ao nível do poder local é que pode ficar espantado)
B. As forças armadas não deviam ter bispo
C. B não invalida A
D. O bispo, antes de A, devia ter abandonado o cargo
E. D tornaria A válido
F. A direita reagiria como a esquerda se o governo não fosse psd (stop whining)

quarta-feira, julho 11, 2012

Reaganomics?

Parece que 95% dos médicos estão em greve. Há quem fale em ronald reagan? pois.

En el dia de los muertos



Esta imagem, feita en el dia de los muertos, impressiona-me. A informação sobre o contexto torna-a ainda mais pujante (nem sempre as imagens necessitam de palavras). Mesmo que a autora, Juliette Mills, crê ver sinas de celebração da vida, eu vislumbro na rapariga da direita uma anunciação imperturbável e desinteressada da morte como só uma criança-deus o poderia fazer.

domingo, junho 03, 2012

Público

Do Público de hoje a salientar uma reportagem sobre jovens no desemprego; respondem como ninguém à filha-da-putice de discurso de um primeiro ministro que sempre teve empregos de cunha. A reportagem vem finalizada pela entrevista a um psicólogo que se torna fraca perante o testemunho de quem vive a crise.

Artigo sobre Lúcio Flávio Pinto, jornalista de coragem que há 25 anos vem denunciando a predação de que é vítima o estado do Pará. Sem surpresa, ali onde o mercado capitalista corre livre há atropelos às liberdades.

Parece que a troika quer erodir os portos portugueses, nomeadamente de Sines, Leixões e Aveiro. Será esta a minha interpretação da notícia que dá conta da vontade férrea da troika de aplicar gestão comum aos portos nacionais. Tal modelo não é aplicado em mais nenhum país europeu que tenha grandes portos e num contexto em que os portos portugueses crescem em actividade. A troika não serve os nossos interesses.

Miguel esteves cardoso em registo anti-capitalista insurgindo-se contra a ditadura do mercado no que respeita às artes e cultura. Só lhe falta desistir da ideia de apoiar o reizinho como mascote nacional.

domingo, maio 20, 2012

Não-lugares


Um livro feito no algarve mas extrapolável. Patrícia Almeida entrega-nos um estereótipo já mastigado e catalogado e que  David-Alexandre Guéniot brilhantemente define como uma representação "de uma cultura popular low cost, autoficções de glam proletário". O livro é uma edição de autora e pode ser adquirido aqui.

terça-feira, maio 15, 2012

Do paraíso liberal

Confere, a Singapura é um paraíso para os liberais. Está lá tudo.

domingo, maio 13, 2012

Para o picoito

O pedro picoito devia defender que os marianos fossem proibidos de adoptar. Isto parece-me comportamento de risco.

Do cinismo

Sabe pedro passos coelho o que é estar desempregado? Pensará que é uma questão de escolha? Que tudo se resolve com 'empreendorismo'? Ele que sempre trabalhou por conta de outrém e à custa da cunha partidária? Ele que começa a trabalhar logo como administrador sem fazer o circuito normal de aprendizagem? Será sempre este o cinismo da direita.

Ainda melhor aqui.

RAP

O que é a esquerda (boa definição trazida pelo RAP) e a importância da linguagem no fluxo e manutenção do poder (orwelliano).

terça-feira, abril 24, 2012

segunda-feira, abril 23, 2012

Fotoautobiografia


We've become moths. And what a moth does, it flies into the flame. You know, sometimes your wings get singed, or you just burn up.”


quinta-feira, abril 19, 2012

Da caridadezinha

A esquerda-que-não-ri, e que se queixa de tudo sem alternativas para nada, está a radicalizar o que só merecia carinho. Mas as coisas são como são: com esta gente sempre de dentes de fora, fica difícil distinguir a estrada da beira da beira da estrada. Tristes trastes.”


O concluir de um post do pedro rolo duarte sobre a ideia de enviar os restos para os pobres. O menino não gosta da esquerda que não lhe ri, que não lhe acha piada, coitadinho do menino. Estes trastes que não aceitam a ideia redentora do desperdício para o pobrezinho fazem o pedro colérico; é bom, faz bem à criculação. Que rosne então o pedrito, que dá gosto vê-lo.


Dos reizinhos

Não percebem mesmo. Quero lá saber que um governante peça desculpas como puto reguila percebendo que fez asneira e sem argumentos de fuga. O que espero de um governante que em período de austeridade vá fazer caçada grossa com o patrocínio de um mercante de armas é que se demita. Percebem? Chama-se quebra de confiança e não é a puta da consanguinidade que me deixaria descansado.


domingo, abril 15, 2012

Da educação

Nuno Crato, o independente à frente do ministério da educação tem um plano. Não lhe posso fazer a crítica da falta de coerência com o programa eleitoral, apenas de resultados: a taxa de progresso das suas reformas é mesmo muito fraca. Contudo, no que respeita a novas medidas, todas associadas com manobras de austeridade, o Crato é campeão de eficiência.

Uma das medidas que Crato apresenta no programa eleitoral e em vias de implementar são mais exames. Sem nenhuma medida tomada para aumentar a eficácia da educação em Portugal, Crato prepara-se para colocar em cima do aluno o peso acumulado e consequência de um mau ensino (mau é um exagero, apenas uso do catastrofismo inquisidor deste Crato). Não vejo aqui nenhuma medida corajosa, bem pelo contrário. Mas toda a direita autoritária anda em pulgas com esta cristianização do percurso escolar.

Contudo, entrando neste jogo, entendo que os exames são uma forma de controlar a qualidade quer do aluno quer do sistema de ensino. Sob este ponto de vista parece fazer sentido. Será? Não, desde os anos 40 que a resposta é não. O controlo de qualidade não deve ser feito por inspecção do produto final ou de pontos isolados na cadeira de produção. O controlo de qualidade deve ser feito o mais em tempo real possível com estratégias de controlo que incluam acções em feedback (para trás, para evitar o problema no futuro) e feedforward (actuar mais à frente para corrigir/atenuar o problema). O foco? Deve ser no aluno. Não nos professores, no ministério, nas paixões de uns pela matemática e de outros pelo autoritarismo. As medidas que o Crato quer implementar são retrógradas de um ponto de vista do controlo de qualidade e afastam-se das melhores práticas assumidas pelos países europeus com sistemas de ensino reconhecidamente mais eficazes. Ao professor cabe fazer uma avaliação contínua do aluno e, sempre que possível, ajustar o seu método. Podem existir organismos de apoio nas escolas para este trabalho? Porque não? Devem os pais serem chamados à responsabilidade? Porque não? Mas assistimos quer a um aumento do número de alunos por turma, quer à vontade deste ministro de fazer a separação dos alunos por performance numa espécie de darwinismo social. O mérito continua a encher-lhe a boca assim como lhe enchia o ego por cada livro que publicava. Depois desta experiência como ministro espero que se retraia desse seu narcisismo intelectual que a realidade deixa-lhe pouco espaço para odes.

Vergonha alheia

Depois de ler a crónica de hoje do MEC no Público, fica a minha pergunta: para quando pensam em eliminar esse espaço de opinião?

sexta-feira, março 30, 2012

Da greve

A greve geral foi um fracasso, considerando os números da adesão e a pouca atenção recebida pela maioria da população. A greve geral tem sido usada de forma leviana e sem que a CGTP explique de forma clara o que pretende. Estão encurralados e agem de sangue quente, parece-me. Com tiques de centralismo democrático (apesar do aparente federalismo), a central lá vai definhando deixando um vazio (os amarelos não devem contar). A arrogância de quem esteve e quem está à frente permanece, com justificações medíocres e risíveis. No meio de tudo isto haveria espaço para comissões de trabalhadores mais fortes mas de momento sem energia potencial.


A polícia foi novamente repressiva com tiques que já vêm do cavaquismo. Na blogosfera, alguns bloggers de direita andavam muito ocupados a mostrar um vídeo onde achavam se provar que os desacatos tiveram origem nos manifestantes. Não tardou em chegar um outro vídeo desmentindo o primeiro. Não vi ainda nenhuma retracção. De parte da outra direita, mais subtil, não houve denúncia nem repúdio. Dá para ver do que são feitos.


domingo, março 25, 2012

Chama-se ciclo

Liberais perdem no Sarre e dificultam ainda mais a governação de Merkel
Parece que os liberais perderam a favor da esquerda. Não tenho outras cogitações que não atribuir estes resultados ao carácter cíclico do parlamentarismo. Ver que outros vejam alterações do partido no poder noutros países de qualquer outra forma é risível.

Adeus Tabucchi

Que melhor investimento estrangeiro aquele que vem por amor à língua, daquela falada, que vai passando à margem de acordos e certificados. Um adeus a quem nos amou.

Da ironia

sábado, março 24, 2012

Corolários

Constância

MEC sempre foi uma personagem que me passou ao lado. Conhecia-lhe a assertividade das opiniões e as múltiplas investiduras em projectos como editoras discográficas, imprensa, etc. Nenhum destes projectos me chamou à atenção embora reconheça que tiveram dimensão nacional. Entretanto, após um período afastado dos holofotes, MEC regressa como cronista do Público. Li-lhe as crónicas nos primeiros tempos, mas dali resultava um sabor sem-sal. De vez em quando, por imposição de um título menos negligenciável, volto a tentar. Nada. Entretanto, o Público deixa o visado entrevistar Eusébio e dali sai apenas salivação e pouca informação. Agora, sai uma entrevista ao MEC pelo Pedro Mexia (muito mais interessante que o entrevistado) e confirmo a minha indiferença. E aquela defesa da monarquia, a apologia do nacional-misticismo? Entediante.

Da riqueza

A partir daqui um artigo sobre "Libertarianism Does Not Equal Selfishness" (libertarianism é a versão norte-americana de liberal). Para mim há um paradoxo entre "human flourishing through freedom and its natural product, social cooperation" e "libertarianism must largely be about the individual's selfish pursuit of wealth, or material goods.". Considerando a verdade inquestionável de que os recursos são limitados (Lavoisier), a acumulação de riqueza de um implica a destruição de riqueza de outro. A assimetria na distribuição resultante destas premissas só se torna 'moralmente aceitável' assumindo a meritocracia como um sistema justo (ou quase-justo). Não li ainda nenhum argumento sério a favor da meritocracia (sc. before ph.).

Não me oponho à criação de riqueza (se bem que as minhas balizas do 'moralmente aceitável' para a geração dessa riqueza sejam mais apertadas que de um donald trump). Oponho-me antes à forma como esta é distribuída.

sexta-feira, março 23, 2012

O tea party do bairro

Pedro Picoito, numa crónica da RR tenta justificar que os gays devam ser considerados como grupo de risco e, como tal, impedidos de adoptar. Para tal, num post expande a sua justificação com artigos. A caixa de comentários é um bom contraditório às teses de Picoito sem que este tenha tido capacidade de responder (no fim acabou por fazer uso de apenas um dos artigos que achava mais relevante mas even so). Do lados dos defensores desta teoria até um suposto psicólogo tentou puxar da 'sua experiência' sem ter respondido a quem lhe pedia factos em vez de frases feitas.

Como resultado, a ILGA lançou um comunicado pedindo contraditório e expondo a argumentação faltosa de Picoito. Picoito achou primeiramente imensa graça, depois deve ter ficado preocupado.

Depois veio a cavalaria do cachimbo, também eles preocupados. Primeiro veio o Carlos Botelho chamando de cruzados que contrariou Picoito; “que não sabiam conversar, brutais e sem sentido de humor”! Que eram “ fanáticos”, imagine-se. Quando peço ao Botelho para ser mais concreto a quem ele se referia, esqueceu aquelas merdas do peito às balas e dos heróis da pátria e o caralho. O Botelho acobardou-se e nada responde.

A seguir a Botelho, Picoito deixa transparecer o suor quando tenta branquear a longa lista de comentários ao post inicial. Desta feita deixa os 'estudos científico', já mete Focault e reduz os gays à ILGA.

Por fim, veio o melhor na pena de Maria João Marques. Em vez de ter debatido nos comentários do post inicial, tenta fazer tábua rasa e inicia um novo post. Desta feita a educação de Picoito é substituída pelos dentes arraigados desta pequena fera que nem tenta esconder o seu asco. Recupera os adjectivos de Botelho, como “fanáticos”, “cruzados”. O pior é que n\ao introduz nada de novo ao debate, facendo apenas uma jogada cubista de tentar alterar o ângulo de ataque.

Com este gente não vale a pena discutir. Tentei enquanto não fui insultado. À cobardia de Botelho, ao insulto da Marques e à falta de argumentação do Picoito não tenho nada a acrescentar.

quarta-feira, março 21, 2012

De Marx

Mais um post interessante do Miguel Madeira. A caracterização e crítica feita por Marx ao sistema de produção capitalista tem os seus méritos.


sábado, março 17, 2012

Da promessa

Passo semanas sem ver uma única notícia do saudosista paulo portas, demagogo dos sete costados, monárquico pragmático e ministro tutelando uma reforma dourada. No entanto, hoje:

Paulo Portas anuncia criação de visto especial para investidores

A grande medida deste senhorzinho é isto, vender vistos. Não devia andar a mediar a situação do país nos orgãos da união europeia? Não devia encontrar medidas de apoio à diáspora daqueles que respondem ao chamamento do grande timoneiro passos? Tantas promessas, tanto vigor encafoado na sua boina e colete de homem do campo, tanto branqueamento dental e tão pouca, tão pouquinha elevação.

segunda-feira, março 12, 2012

Do paraíso perdido

O governo irlandês pediu uma restruturação da dívida dos bancos (aqui). Eva prepara-se para comer a maçã.

quarta-feira, março 07, 2012

Do populismo

O homúnculo que preside aos destinos da França queixou-se do excesso de estrangeiros. Já houve quem respondesse à altura: aqui e aqui.

terça-feira, março 06, 2012

So this is where feminazi came from... interesting


Do mérito

O João Vasco tem um interessante post sobre mérito. Sim, isto também é mérito.

domingo, março 04, 2012

Seu nome era Maria

"Gosto muito mas sempre que como feijão preto fico com o coração triste"

Ao que parece, este dito provinha da mãe da minha avó materna (bisavó materna?) sempre que se deliciava com um prato de feijão preto (nome antigo do feijão frade).

Vivência

"Sentado a uma mesa onde só podia ter um lápis e papel, [Noé] Sendas viu trazerem-lhe um carrinho, e nele, os seis cadernos de Beckett. Durante 15 dias, copiou os diários à mão. Não pôde fotocopiá-los, fotografá-los. Pôde tirar o lado vivencial e era isso que lhe interessava."

Artigo de Ana Dias Cordeiro no Ípsilon sobre a obra de Noé Sendas à volta dos diários alemães de Beckett

Não me interessa esta obra em particular do Noé Sendas (patente no Museu do Chiado) até porque não a vi (ainda). Interessa-me este bocado de prosa, este mastigar de tempo que rareia.

sábado, março 03, 2012

Do leftismo

Ao ler uma entrevista a dois "free market individualist anarchists" que se intitulam "leftists", restam-me dois comentários:

1) Tenho pena que o entrevistador não tenha aflorado a questão do mérito. A questão biológica é inerentemente anterior a quaisquer considerações filosóficas/morais/whatever, nem que seja por balizamento destas últimas.

2) Que "an economic system characterized by peaceful, voluntary exchange" é uma utopia que não se torna possível com a abolição do estado, principalmente em sistemas que prevêem propriedade privada. Mesmo assumindo que o 'mercado' não iria permitir desigualdades em termos de uma média rolante (que permite), não as impede em períodos de tempo significativos em relação à esperança média de vida humana. Isto contraria, não só a 'voluntary exchange' como ainda coloca em causa o 'individualism'.

Não me parece que, historicamente, estes entrevistados se possam chamar de 'leftists'.

sexta-feira, março 02, 2012

Ciência?

Anda um grande burburinho por uma 'artigo científico' onde a autora escreve que quem aceita que se aborte um feto, deverá, por corolário, aceitar que se mate um recém-nascido. Sumariamente, o argumento será que o recém-nascido também não tem consciência da sua existência.

Em primeiro lugar não se trata de um 'artigo científico' mas antes um artigo sobre ética feito por uma estudante de filosofia. Um tratado de moral, portanto.

Em relação ao conteúdo, é uma opinião da qual discordo. Não sei onde de deverá traçar a linha para permitir um aborto. Contudo, para mim é claro que, no prazo estabelecido pela lei não considero infanticídio a prática da IVG pelo facto de que não estamos a falar de um ser com vida autónoma capaz de respirar e com os mecanismos básico de suporte à vida. O recém-nascido tem. O que acabei de dizer não o considero ciência mas uma apreciação moral da IVG.

sábado, fevereiro 25, 2012

So true



The Daily Show with Jon StewartMon - Thurs 11p / 10c
Money Talks - The Haves & the Soon-to-Haves
www.thedailyshow.com
Daily Show Full EpisodesPolitical Humor & Satire BlogThe Daily Show on Facebook




Do cinismo político

O João Valente Aguiar mostra claramente porque tenho quase repulsa pelo PCP institucional.

(leiam os comentários também. mesmo)

segunda-feira, fevereiro 06, 2012

Nada?

ainda não vi nenhum post de um monárquico a tentar explicar o atrapalhado apoio do putativo reizinho ao déspota sírio. assim são as cortes de portucale.

sexta-feira, janeiro 20, 2012

Das diferentes utopias

Hoje, numa ida à lavandaria do costume instalada num modelo, lá estava a banca para mostrar os benefícios da história edp-sonae. um casal de idosos ouvia atentamente a verborreia estudada da funcionária. eu também, por curiosidade. durante os dez minutos que demorou a convencer o casal a aderir, a funcionária nunca referiu que esta alteração implicava a alteração do tipo de contracto da edp de mercado regulado para liberalizado.

esta e muitas outras histórias denunciam a falácia da ideologia liberal: uma relação não regulada entre duas partes só é livre (e justa) se e só se as duas partes tiverem a mesma informação (poderia falar até das mesmas capacidades, mas já nem vou por aí); ou seja, se a relação for simétrica. pois bem, nunca são. temos pena. utopias temos todos.

Da falta de vergonha

cavaco silva terá dito: "As minhas reformas não chegam para as despesas". nesse caso deverá ter resposta idêntica que os seus companheiros distribuíram a quem ganha bem menos que ele: se não tem não gasta. a falta de vergonha deste tipo chega a ser embaraçosa.

Adenda: ou se despede ou é derrubado. outra consequência lógica.

da hipocrisia

llosa recusa pela segunda vez presidir ao instituto cervantes. acho bem, é uma consequência lógica das suas orientações ideológicas. o próprio disse, na primeira recusa, que tal cargo não se coaduna com o ser escritor, que deve manter a independência e a liberdade. fica-lhe bem. na segunda recusa já alega falta de disponibilidade, que o ser escritor não lhe permite a plena entrega ao cargo. uma metamorfose incómoda. entretanto descubro que, afinal, llosa até pertence ao patronato do instituto. em adição, llosa viaja a convite do instituto para viajar e divulgar a língua espanhola por esse mundo afora. que aconteceu à independência e à liberdade de llosa? concerteza mantêm-se balizados nas orlas das suas produções literárias.

segunda-feira, janeiro 16, 2012

Da oligarquia

Mais um valioso contributo do miguel madeira.

A história é areia movediça para os imberbes deste mundo

Não é todos os dias que referencio o cachimbo pelas boas razões.

Da ejaculação precoce

S&P corta rating a nove países, França perde AAA e Portugal passa a “lixo”

Governo lamenta e considera infundado corte do "rating" de Portugal

S&P usou corte de rating para fazer política, diz Passos Coelho

Este governo perdeu a vergonha. Tornou-se declaradamente incompetente e repete as desgraças socráticas. O passos está desorientado como só um menino fica quando se perde dos pais; há um pânico do vazio naquelas cabeças coroadas. A promessa fundamental de não atribuir desculpas a outros caiu; já nada resta.

Eleições antecipadas já!

domingo, janeiro 08, 2012

Hoje sinto-me pessimista

Parece que foi encontrada uma última entrevista dada por Pier Paolo Pasolini. Compara o consumismo ao nazismo pela foram como manipula e violenta os corpos. Fala como essa industrialização ruiu a cultura de campesinato católico italiano. Que os extremistas fazem explodir bombas de dia mas que há noite se deixam inebriar pela tv. Acha ainda que, enquanto o fascismo é totalitário, o consumismo é totalizante (dá o exemplo dos dialectos, resistentes ao fascismo).

Como escreveu Marcuse, sem memória não há utopia e nunca um regime, como o regime capitalista, destruiu tanto a memória. Estará tudo terminado quando a arte perecer.

Pasolini morreu em 1975. Os bons morrem cedo.

terça-feira, janeiro 03, 2012

Da pequenez

Os liberaizinhos da praça acham muito bem esta venda da jerónimo martins a uma subsidiária holandesa. rejubilam pois é um resultado do nosso peso fiscal. Não referem o moralismo enjoadinho de alexandre soares dos santos; nada disso, o capital além de não ter ideologia ou país parece não ter vergonha. Mas acho que devem seguir o exemplo deste muy valoroso empresário e emigrarem para onde paguem menos impostos, não se vá dar o caso de eu achar que falamos de meninos.

Obviamente, apesar de despojado de ética, este movimento financeiro é perfeitamente legal. Também é perfeitamente legal não voltar a fazer compras no pingo doce. É o que farei.