domingo, dezembro 25, 2011

Os amarelos vêm aí

O estado português privatizou o restante da EDP vendendo... ao estado chinês.

A direita portuguesa deu vivas ao negócio elogiando a escolha que foi feita segundo rigorosos critérios económicos. A direita portuguesa ainda tentou justificar pateticamente a venda de património público ao estado de um outro país que, ainda por cima, é uma ditadura (é mais fácil bater na coreia do norte, compreendo; não requer tanta imaginação). Dos liberais nem um comentário pequenino de assombro perante o avanço das forças vermelhas para o domínio sobre o tão querido mercado livre. Dos liberais nem um aqui-del-smith pelo avanço do tão temido estado autoritário sobre transacções financeiras. Nem um 'bolas' pelo aparente domínio de um estado comunista sobre a economia mundial, à frente de paraísos como singapura (by the way, que tal seguirem o conselho do passos e mudarem-se para lá?).

Por outro lado, o PCP condenou a venda. O PCP condenou a venda de património aos camaradas chineses que, segundo o PCP, são um garante do comunismo internacional. O PCP manifestou-se contra esta manobra de nacionalização verdadeiramente internacionalista. O PCP, que enviou condolências para a monarquia comunista da coreia do norte, está nervoso porque o PC chinês, que é o único regime do mundo a apoiar a coreia do norte, entrou no capital de uma empresa evitando assim a sua entrega aos capitalistas ocidentais.

Foda-se pá! Entendam-se.

Adenda: Este post pode e deve ser complementado por outra dose de ironia do Sérgio Lavos.

Sem comentários: