segunda-feira, agosto 30, 2010

Do radicalismo economista (III)

Para acabar, ainda este.

«Let me then make that diversity clear. We are not environmentalists. We ardently oppose environmentalists. We consider environmentalism a form of mass hysteria akin to Islamic fundamentalism or the War on Drugs. We do not recycle. We teach our daughter not to recycle. We teach her that people who try to convince her to recycle, or who try to force her to recycle, are intruding on her rights.»
O direito dela em não reciclar colide com o direito de todos nós a ter um ambiente saudável com uma utilização de recursos sustentável. A comparação entre ambientalistas e radicais islâmicos demonstra a desonestidade intelectual deste tipo que o André parece admirar. Na falta de capacidade argumentativa tenta-se criar o pânico e colocar-se acima dos demais. Este registo é digno de um estado totalitário o que não deixa de ter a sua piada.

«I am frankly a lot more worried about my daughter’s becoming an environmentalist than about her becoming a Christian. Fourth, we face no current threat of having Christianity imposed on us by petty tyrants; the same can not be said of environmentalism. My county government never tried to send me a New Testament, but it did send me a recycling bin.»
Este último parágrafo é só para deixar claro a forma de pensar desta gente. Como dizem do outro lado, é self-explanatory.

Sem comentários: