terça-feira, agosto 03, 2010

Da cobardia

Que a Helena Matos gosta da notícia fácil e descontextualizada eu já o sabia; que fosse cobarde eu suspeitava. Hoje tive a confirmação. Postando um vídeo da intervenção da polícia francesa que arrasta mães e filhos de uma comunidade de imigrantes desalojados, escusa-se de tecer quaisquer comentátios deixando a seguinte pergunta: “O que vê aqui?”. Depois é só ir à lista de comentários povoada pelas alminhas seguidoras dos vários blogues das direitas culpabilizar e escarnecer as mães.

Só posso imaginar a Helena num risinho patético esfregando as mãos de satisfação por ver o seu corpo de mercenários fazer aquilo que ela não tem coragem.

Só uma nota adicional: não me lembro de ver esta gente a inurgir-se contra a utilização de crianças palestinianas pelo exército israelita como escudos humanos.

6 comentários:

Anónimo disse...

1. Policias a fazer o seu trabalho com excesso de zelo e força desnecessaria.

2. Maes a usar os filhos como objectos politicos.

Francisco Ferreira

nuno vieira matos disse...

1. Excesso de zelo é eufemismo; chamaria incompetência ou inabilidade para lidar com situações daquelas.

2. Isso sempre existiu e é impossível que tal aconteça; de qualquer modo era um protesto pacífico. Lembro-me de, por exemplo, vídeos mostrando soldados isrealitas usando jovens palestinianos como escudos humanos. Nessa altura ninguém das tuas bandas políticas mostrou repulsa. Vou crer que tu mostrarias.

Anónimo disse...

1. Porquê incompetência? Eles removeram as pessoas que estavam a impedir o trânsito e as pessoas de irem trabalhar. portanto foram competentes.

2. Vocês são engraçados, vão logo buscar exemplos estranhos e rebuscados. Calculo que a China, Coreia do Norte, Venezuela, Cuba sejam das tuas bandas políticas. Queres discutir a maneira como educam/tratam as crianças e os restantes cidadãos? Outra coisa, falas dos palestinianos com tanta pena e respeito, sabes qual é a pena para a homossexualidade lá?

Francisco

alexandre disse...

Ao dizeres "voces" assumo que te diriges 'a minha pessoa tambem. China, Coreia do Norte, Venezuela e Cuba sao paises extremamente diferentes uns dos outros a varios niveis, nao so ao nivel de sistema politico, mas tambem ao nivel do modelo de desenvolvimento economico e cultural. Ja agora junta-lhes o Irao, o Equador, a Argentina e o planeta Namek para fazeres o eixo do mal. Tu estavas bem era numa pequena cidade do Sul dos Estados Unidos da America a ver a Fox News.

nuno vieira matos disse...

Francisco,

1. Os fins não podem justificar os meios.

2. Os exemplos não te são estranhos ou reboscados; são-te desconfortáveis.
Não deves confundir os governos com a população. De qualquer modo, deverias gostar mais que eu de estados autoritários que pretendem manter o status quo.

Anónimo disse...

:)

1. Sim, os fins nunca podem justificar os meios, senão voltaríamos à tortura como método de investigação.

2. Por acaso sou completamente contra estados autoritários. A Democracia e a Liberdade são os bens mais importantes que temos. Por isso é que eu acho que a Justiça deve ser forte e eficiente, para não dar azo aos atrasados mentais da extrema direita ou esquerda virem com os seus delírios securitários e fazerem as pessoas pensar que têm de abdicar da liberdade em prol da segurança.

Falando em Sul dos EUA, cheguei-vos a dizer que estive na Georgia e disparei uns tiros com o pessoal do NRA? Boa gente, temente a Deus e com bons valores.

Abraço.

FFerreira

P.S. Temos de fazer um jantar e um tertúlia para discutirmos estas coisas todas!