domingo, junho 20, 2010

Do fado de lisboa

Não me agrada o concurso para levar o fado de lisboa a património da humanidade. Os requisitos para a candidatura implicam tirar o fado do seu âmbito popular e colocá-lo nos grilhões da burocracia do estado.  o fado, que tem sido acossado por variações mais vendáveis (os grilhões da ganância do mercado), definhará nos museus, no papel e na não espontaneidade.


“O Fado”, José Malhoa

Sem comentários: