quarta-feira, abril 14, 2010

Falta de memória histórica

Hungria vai virar à direita, com os extremistas a forçar a balança
Húngaros dão vitória folgada aos conservadores

O partido da extrema-direita (xenófoba), Jobbik,  ficou com 16.74%. Algumas pérolas:

  • «"Porco judeu, porco judeu!", gritavam os apoiantes do Jobbik ao presidente da câmara de Budapeste. "Para o Danúbio!", gritam»
  • «Dois jovens com o braço estendido numa saudação nazi dizem, primeiro mais baixo e depois com mais força: "Para o campo de concentração!"»
  • «Mas o Jobbik, Movimento para uma Hungria Melhor, não é só um partido: é uma milícia que patrulha as ruas exibindo símbolos nazis, em fardas de combate e camuflados ou uniformes negros.»
  • «Viktor Orbán [direita conservadora que ganhou as eleições com 52.7%], que já foi primeiro-ministro entre 1998 e 2002, não quer ter nada a ver com o Jobbik, embora membros do seu partido façam afirmações e tenham ligações a publicações claramente anti-semitas»

Isto faz-me lembrar a ascensão do partido nazi na Alemanha depois da direita conservadora no poder ter entregue alguns ministérios chave como forma de controlar ‘o crime’.

Claro está que isto não assusta a nossa direita, excitadíssima com estes resultados.

Há uns anos tive a oportunidade de estar em Budapeste e já na altura assisti a uma manifestação de extrema-direita. Não percebo magiar e as palavras de ordem não me soavam a nada inteligível mas o ódio estava estampado nas caras deformadas pelo gritar. São estes que tiveram quase 17%.


Membros de milícia do Jobbik

Sem comentários: