sábado, outubro 10, 2009

Obama

Jorge Assunção, em poucas palavras, diz o essencial da atribuição do prémio Nobel da Paz a Obama.

Entretanto, a blogosfera já adoptou esta notícia como o tema do mês, particularmente blasfemos e insurgentes (o 31 da Armada está demasiado preocupado em ser um colectivo de humoristas). Por um lado desvalorizam o prémio. Por outro mostram-se ridiculamente incrédulos como se não percebessem a real motivação da atribuição. Tudo isto num leve souflé de histeria cumulativa.

By the way, não concordo com a atribuição. Por positivo que seja para o tal "condicionamento", a atribuição de um prémio tem como característica fundamental o reconhecimento do trabalho de outrém. Se o comité tomou esta decisão porque acha que as vias normais de condicionamento (e.g.: diplomática) são insufucientes, só posso dizer que é um direito que lhe assiste e o qual respeito.

By the way (2), Obama, no discurso de agradecimento, demonstra claramente que sabe muito bem as razões da atribuição.

Sem comentários: