sexta-feira, setembro 18, 2009

A Criação

Primeiro veio o verbo:
Assessor de Cavaco terá encomendado caso das escutas
«Luciano Alvarez, diz que se reuniu com o assessor de Cavaco Silva e que este lhe disse que estava ali a pedido do chefe de Estado para falar de um assunto grave. (…) Contactado pelo Diário de Notícias, o jornalista do Público, Luciano Alvarez, afirma que este e-mail nunca existiu.»

A ser verdade é grave, muito grave. Se tal acontecer Cavaco tem apenas uma hipótese.

Depois veio o cristo:
Director do Público diz que o jornal pode estar sob escuta
«José Manuel Fernandes afirma que toda esta questão parece "confirmar as suspeitas do Presidente da República" (…) "o director do Público assegurou, contudo, que parte desta mensagem se refere a uma "discussão natural entre um director, um jornalista e um editor", mas que parte do e-mail "não corresponde ao seu conteúdo exacto".»

De JMF não espero espinha dorsal, considerando esta uma “discussão normal”. Já agora, que parte do e-mail não corresponde ao conteúdo exacto? Teasers infantis num homem daquele tamanho não pega.

Ainda cristo:
«O director do jornal considerou ainda que o acesso a este e-mail apenas poderá ter partido dos serviços secretos, interrogou-se sobre a quem é que esta notícia poderá interessar e entende mesmo que o Público só pode estar sob escuta.»

Sendo JMF um homem que sempre gostou de apontar o dedo à criminalidade galopante desta feita esqueceu-se dos piratas informáticos! Imperdoável.

Depois veio deus:
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1401301
«O empresário Belmiro de Azevedo recomendou hoje à equipa do diário PÚBLICO, do Grupo Sonae, "que não se deixe assustar por opiniões um bocado desastradas de alguns governantes que querem mandar no Público sem pôr lá dinheiro nenhum". "Não me importo nada que eles mandem, mas comprem o jornal", afirmou o presidente não executivo da Sonae, à margem da inauguração do parque de negócios das empresas do grupo na Maia.»

Ó sôr Belmiro, as opiniões desastradas incluem o provedor do seu jornal?

Infelizmente este é mais um caso que nunca chegará a ser investigado. Mas estas notícias vão manchando a imagem do PR. Não adianta vir bramir a honestidade quando se rodeia de pessoas com um espírito mais, vamos lá, maquiavélico. O mesmo para Ferreira Leite. Pela ‘verdade’ destes dois já não coloco as mãos no fogo.

Sem comentários: