terça-feira, agosto 18, 2009

Tabu

Umas semanas atrás li um artigo (desculpem a falta de memória e consequentemente a falta de referência) sobre a prática de topless. A entrevista era feita à mãe e à filha. A mãe, da geração de 60, fez topless e admite ter saudades. A filha (geração 2.0) repudia a ideia de colocar as meninas ao léu.

O século XX ocidental assistiu a duas guerras mundiais, à guerra fria, à guerra do Vietname, aos regimes ditatoriais da Alemanha, Itália, Espanha, Portugal, União Soviética, etc. Tudo isto acabou por ter um efeito contracção-distensão. Na luta e no pós-luta contra as guerras e os regimes ditatoriais apareceu um movimento fragmentado de libertação que incluía o corpo. Os tabus eram desafiados e o sexo começava a ser encarado com a naturalidade que lhe era devida.

Que aconteceu entretanto? Porque temos filhos com mais tabus que os pais em relação ao corpo, ao sexo e, contudo, cada vez mais relacionados com o mundo e multiplicando os canais de comunicação de uma forma nunca antes vista? Como é que o narcisismo crescente da nossa sociedade sacia-se com uma vergonha pueril sobre os nossos genitais? Não era suposto sermos livres? Porque estamos presos às convenções de género e de “bom comportamento” regredindo, em alguns aspectos, a geração anterior?

Se entretanto tiver alguma ideia sobre este assunto volto a ele.

2 comentários:

Luna disse...

Porque somos, também, e cada vez mais, bombardeados com ideais de perfeição que nos tornam cada vez mais inseguros e complezados relativamente ao corpo.

Luna disse...

Errata: complexados