quinta-feira, novembro 27, 2008

Dia de Acção de Graças



O melhor nos Feriados Americanos é tudo estar calminho, trabalhar até dá gosto :)

segunda-feira, novembro 24, 2008

Poema no Dia Nacional da Cultura Científica

Sim, no seguimento do post anterior sobre precariedade, hoje vou fazer um post sobre a minha área de trabalho: Investigação Científica. Uma área que espelha bem a realidade social de Portugal em termos de diferenças de classe, onde uns vivem em precariedade e outros em largo e corrupto fausto de desperdício de fundos do Estado.
Mas este momento não se dedica ao lado negro da Cência em Portugal, mas sim ao canto dos descobridores modernos, dos que que se encontram aqui pela Adrenalina de mudar o mundo.

Manuel Heitor, Mariano Gago, esta parte é para vossas exc. senhorias lerem nos vossos cadeirões de braços ministeriais:

Ai Galileo!

Mal sabem os teus doutos juízes, grandes senhores deste pequeno mundo

que assim mesmo, empertigados nos seus cadeirões de braços,

andavam a correr e a rolar pelos espaços

à razão de trinta quilómetros por segundo.

Tu é que sabias, Galileo Galilei.



Por isso eram teus olhos misericordiosos,

por isso era teu coração cheio de piedade,

piedade pelos homens que não precisam de sofrer, homens ditosos

a quem Deus dispensou de buscar a verdade.

Por isso estoicamente, mansamente,

resististe a todas as torturas,

a todas as angústias, a todos os contratempos,

enquanto eles, do alto incessível das suas alturas,

foram caindo,

caindo,

caindo,

caindo,

caindo sempre,

e sempre,

ininterruptamente,

na razão directa do quadrado dos tempos.


Até ao momento eu nunca ouvi outra pessoa a declamar este poema melhor do que eu.
Fica aqui a versão executada pelo autor, que também declamou pior do que eu, mas que fez muito em vida pela cultura científica em Portugal a custo zero, gostava de notar outra vez, a custo zero. Fica a homenagem ao Poeta.

O Dinheiro, A Chave e a Crise. Parte1- Precariedade no Emprego

Votar aqui contra a precariedade que, a meu ver, representa a maior chaga social do nosso país:

- o limbo entre a escravatura e a exploração laboral

- o resultado de uma visão fatalista do mundo do salve-se quem puder que se torna danosa para o progresso

- o retrocesso dos valores de Abril

- uma pouca vergonha quando se considera que Portugal é o país da Europa com maior fractura social, assimetria entre ricos e pobres e com o salário mínimo entre os mais baixos

Perante esta realidade, votar é um dever para com a Nação que se encontra a saque por parte de políticos carreiristas que em nada se preocupam com o bem social, aliados a Barões do Patronato que enriquecem em simbiose com a degradação do Estado e de vários dos seus patrimónios.

quarta-feira, novembro 12, 2008

"Proposition 8". Parte 1 - Anti-Natural?

Não há nada mais anti-natural que a Medicina, onde fazemos batota para contrariar a Natureza.

Não há nada mais anti-natural que a Tecnologia, onde alteramos a Natureza por uma melhor qualidade de vida, negando as suas características flutuantes.

Não há nada mais anti-natural que a História e o culto aos nossos antepassados, onde tentamos imortalizar quem morreu.

Eu não vejo nada de anti-natural na homossexualidade que não veja no amor, no casamento, na família, no capitalismo, nos movimentos sindicais, etc...

Sim, porque na Natureza o Natural é nascer, comer, reproduzir e morrer, e na verdade a humanidade e tudo o que se exclui no Homem destas simples tarefas é, entre muitos outras componentes, a negação da Natureza.

O Homem é anti-natural, sempre, mesmo que goste de pessoas do mesmo sexo, do sexo oposto ou dos dois.

E para mim, na minha cultura e subjectividade, tudo isto é natural e o anti-natural é nascer, comer, reproduzir e morrer sem nada mais que me defina como ser humano.

Os mesmos Direitos para tod@s!!!!! Isso sim é Democracia, outro conceito anti-natura...

quarta-feira, novembro 05, 2008

Muito Bem Obama!!



Estou contente, mas existe sempre em mim uma pontada de cepticismo, bem no fundinho, relativamente a um político Americano que promete mudança, uma viragem no sentido da Esquerda, do Povo, dos mais desfavorecidos.
Mas estou optimista. O que normalmente é raro.
No entanto, a esperança nunca morre, nunca, NUNCA: HOPE!!!
E isso para mim é cada vez mais importante pois hoje em dia a minha vida nada mais é do que um punhado de emaranhadas pequenas esperanças por um futuro melhor.
Yes we can!!!!
Parabéns OBAMA, vamos agora trabalhar...

domingo, novembro 02, 2008

Os Presidentes, os Capitalistas, os Conservadores e as Crises - Parte 1


Estava a ler este site sobre o historial dos impostos nos EUA quando me deparei com um facto histórico surpreendente e de elevada actualidade. Bem, muito simplificadamente, ou como se diz em americano "in a nut shell", parece que o Presidente Americano que precedeu à crise de 1929, John Calvin Coolidge, Jr., era Republicano, acreditava num Estado pequeno, em redução extrema de impostos, em mínima intervenção do Governo na Economia e Sistema Financeiro e no sistema Capitalista como via de progresso. Sendo um homem muito caladinho e quieto, parece que das poucas coisas emitidas pelas suas cordas vocais, ele dizia algo como: uma fábrica é uma Igreja da doutrina do progresso e um trabalhador que nela labore é um homem a exercer culto religioso. Bem, o Capitalismo Selvagem era para Coolidge uma cruzada santa onde tudo se punha de lado em nome da meta final: mais Capitalismo? Talvez!!

Bem, depois de Coolidge veio o pior Presidente Americano de sempre a seguir ao W. Bush, o Republicano Hoover, o homem que era recebido, nas cidades que visitava, por multidões a pedirem pão, famintas e desesperadas. O que era isto, a era Czarista Russa? Não, eram os EUA. Hoover foi o Presidente da Crise e para a resolver acreditava na Caridade, considerava que os Industriais (como ele anteriormente a ser Presidente) eram muito avarentos e deviam ser motivados pelo Governo a serem caridosos e criarem fundos de "sobras" para distribuir pão pelos americanos. No entanto, nunca mudou o sistema de investimento público, nem tão pouco as regras dos sistemas económico e financeiro para resolver a crise. Faz lembrar o Cavaco: acredita na bondade da Direita e ignora as eficientes propostas da Esquerda, tudo em nome de nada mudar, a não ser a ilusão de tudo estar melhor, quando na realidade o resultado da sua actividade está a ser o contrário.

Para fazer o ramalhete completo, Andrew Mellon, sim o da Carnegie Mellon University, o conselheiro de economia e finanças de Coolidge, considerado hoje o responsável pela implementação das políticas públicas que levaram à crise de 29. Um industrial com uma vida privada nada afectada pela crise, mas que foi o culpado pela fome, desemprego e criminalidade nos loucos anos 30.

Os culpados pela crise de 29 estão na foto aqui apresentada e fiquei impressionado ao ver que as causas dessa crise foram as mesmas da actual crise de 2008. Impressionado como leigo em economia ao ver que a originalidade dos neoliberais e libertários económicos não existe. O Capitalismo Selvagem que levou a Escola de Chicago a ganhar um Nobel não parece ser original, somente uma versão copiada de um sistema falhado que voltou a falhar.

Antes, os culpados não foram castigados, agora gostava de acontecesse o oposto. Mas vejo que posso esperar sentado, infelizmente.

A Parte 2 deste post será dedicada ao grande FDR e como a seu legado foi estragado e corrompido desde então até à actualidade, para mal de todos os EUA e do seu progresso social e económico.

sábado, novembro 01, 2008

Vi Em Rabino um Amigo



Bem, e foi um momento do meu dia a dia que quebrou a rotina e a banalidade de um estudande de Doutoramento que baseia a sua Pesquisa Científica em trabalho de laboratório.
Vinha com a minha bica cheia, ou "double expresso" em americano, pela rua abaixo em direcção ao Doherty, quando um homem de "quico" preto e roupas escuras me perguntou se eu era Judeu. Perguntei em estilo de engate de uma adolescente a quem lhe perguntam a idade, mas em vez de responder "que idade achas que tenho?", respondi: Porquê, tenho ar de Judeu?
Ele disse que sim, o que me levou a falar de Portugal, dos Marranos, dos Cristãos Novos, da possibilidade de aproximadamente um terço da população portuguesa ter ascedência Judaica e das alheiras. Aprendi muito sobre cultura Judaica dos dias de hoje, principalmente sobre as diferentes vertentes politico-religiosas, mas não tive a ousadia de dizer que acho que na questão Israelita há culpados em ambos os lados das barricadas, mas que a meu ver os Palestinianos têm mais razão nas suas lutas. No entanto, indiscutivelmente, discordo de qualquer método de luta terrorista, fique isso bem claro, ou de guerra, porque eu sou pela paz, paz, paz...
Conversei muito com ele, houve um momento caricato quando lhe falei do livro do Roth "The Plot Against America" e ele, não conhecendo a obra, pensou que o livro defendia qualquer tese em que o Judeus são o "Plot Against America", o que não é verdade, nem no livro, nem na realidade real. Já agora, recomendo vivamente esse livro, a mim recomendado por um grande amigo, para se quebrarem alguns mitos sobre o poder da comunidade Judaica no mundo. Também à parte, segundo muitos especialistas em literatura, se o Nobel nesse ramo de especialidade viesse para os EUA, viria para Phillip Roth.
Ok, moral disto tudo, tenho um novo amigo, o Rabino Cohen, um novo companheiro de conversa nesta vida "Pittsburgheana" solitária.