quinta-feira, setembro 06, 2007

Fotografia: Série nocturna

Encontrei-a nos meus sonhos de acordado. Cirandava pelas pedras da calçada evitando as surpresas dos desníveis entre paralelipípedos e ampliava eu os seus movimentos até me sair dos lábios o saltitar. Mas ela não saltitava, apenas caminhava mais célere e tentando não prolongar o toque no chão de pedra. A certa altura, quando os olhos já ardiam, eu reparei que ela judiava com as sombras, caminhando na orla esforçada de uma lâmpada amarela que pendia do alto de uma coluna fria e cinzenta. Juro que lhe ouvia o riso abafado enquanto ameaçava um passo mais ousado mas que se quedava na luz. Fui seguindo-a e o sonho foi perdendo vontade de ser, como cansaço. Abracei-a para tornar-me bela a sua confusão e segui em frente, talvez para ser sonhado.


Nuno Vieira Matos, Ourém, 2005


Nuno Vieira Matos, Ourém, 2005


Nuno Vieira Matos, Ourém, 2005


Nuno Vieira Matos, Ourém, 2005

Sem comentários: