quinta-feira, junho 07, 2007

Fast Food Nation




Este filme passou-me completamente despercebido e ainda bem que tropecei nele e o vi. Um retrato rigoroso e conciso sobre os problemas com que a Esquerda se deve preocupar nos dias de hoje. Quem pensa que longe ficam os tempos em que os trabalhadores viviam em plena precariedade encontra-se enganado.
Que queremos do nosso futuro, da nossa qualidade de vida?
Hoje o Homem encontra-se suprimido e enclausurado numa máquina incontrolável de produção em série que age com o pretexto de sustentar o crescimento económico e a capacidade lucrativa das empresas.
O que me impressionou mais neste filme foi o facto de o "espaço cénico" se passar no Estado de Oregon e eu identificar plena similitude entre grande parte dos locais representados no filme e os que vivo aqui na Pennsylvania. No outro dia conheci um senhor que veio para Pittsburgh nos anos 60 e contou-me como a cidade e as outras nos EUA em geral perdem significativamente as suas características típicas e cada vez mais uma homogeneidade de estilos, hábitos e culturas assombra todos os EUA.
Acho que nos Estados onde os movimentos Sindicais se encontram menos desenvolvidos, as situações de precariedade laboral expostas no filme são muito mais chocantes.
Aqui na Pennsylvania, os movimentos Sindicais ainda participam activamente com algum sucesso na defesa de certos direitos, cada vez menos, mas ainda participam.
O desafio da Esquerda de hoje é encontrar e definir consensualmente as novas frentes de luta por uma vida melhor para tod@s, independentemente da classe social, racial, cultural ou étnica a que pertencem.

Sem comentários: