segunda-feira, maio 07, 2007

A riqueza (artificial) das nações

Ora aqui está uma notícia que vem demonstrar as contradições inerentes ao sistema capitalista. Mas não vou entrar nas teorias macroeconómicas. Para isso existe isto. Mas de qualquer modo fica um apontamento. Como esperam que um sistema prospere se é mantido artificialmente, "puxando" os lucros para cobrir um corpo maior que a manta. Se tapamos os pés concerteza destapamos o peito. O capital vai-se valendo a ele próprio e quase me sinto tentanto a transportar para a economia a teoria do gene egoísta. Nesta teoria, os genes seguram o poder da existência usando o corpo humano como veículo de transporte. A teoria é devastadora? Sim. Mas troquemos o gene pelo capital. Troquemos o corpo pela força de trabalho. Troquemos mitose e meiose pela especulação bolsista. Troquemos a esporulação, hibernação ou outra forma de letargia pelas dituaduras de direita. Pois, não é o lucro o fim de tudo? Não é o lucro que condiciona todas as decisões?

Não sentem a vertigem?

Sem comentários: