segunda-feira, maio 14, 2007

Partidos a sério? Onde?

Se o PSD fosse um partido a sério apoiava Maria José Nogueira Pinto que é a pessoa mais capaz nas Direitas para ser Presidente da CML. Se o PS fosse um partido a sério apoiava Helena Roseta, que é a pessoa na Esquerda mais capaz para ser Presidente da CML e tentava coligar-se com o PCP e BE para formar um projecto consistente. Obviamente o PSD não se encontra em condições para se coligar com um PP de Portas. Nem sugiro isso, claro. Esse antigo CDS é agora o one man show de super Portas, o Partido de Portas (PP) ou o Paulo Portas (PP) simplesmente.
Mas claramente tanto o PS como o PSD possuem aparelhos que não permitem criar candidaturas úteis e necessárias. Contrariamente, no PSD do pseudo-arauto da seriedade (Marques Mendes) vai-se escolher o Careca do Benfica dos Donos da Bola (Fernando Seara) e no PS pensa-se lapidar o Governo retirando António Costa do Ministério da Administração Interna.
Fernando Seara, um viseense como eu, licenciado em Direito no mesmo ano que Barroso e Santana Lopes, desconhecido antes dos Donos da Bola e que somente tem do seu lado a capacidade de colher simpatia dos benfiquistas e amantes da bola e da bifana em geral. Um homem sem capacidade para ter uma acção de fundo, inteligente e criativa na CML. António Costa, um homem mais que competente para o cargo, mas um desperdício em sair do Governo depois de estar tão à vontade e com enorme competência a exercer as suas funções.
Que pena o aparelhismo obscuro dos partidos mandar nos destinos das nossas cidades. A crise inicial foi causada por pressões do aparelho do PSD que destabilizaram a coligação que governava a CML na altura. Nesse momento, Carmona Rodrigues, que sempre defendeu mais o PSD do que muitos militantes activos, foi fiel e obediente a Marques Mendes. Quando a crise se agudizou, Marques Mendes não teve problemas nenhuns em passar por cima de Carmona sem qualquer gratidão pelo trabalho de oposição que este exerceu contra o PS e o Governo de Sócrates durantes os anos que esteve na CML. Trabalho de oposição não exercido por Marques Mendes nesse tempo.
A política é tramada e Marques Mendes acima de tudo é bem tramado. Carmona deve ter aprendido que nessas andanças as amizades valem pouco, mas sim a regra do vale tudo e do salve-se que puder. Se calhar é por a política portuguesa ser um mundo de cão que muita gente de valor decide não ingressar nessa via.
Não estou a sugerir que Carmona tenha algum valor...

1 comentário:

bruno disse...

Nao sei pq mas gostava de ver a Ferreira Leite na CML.

Qto ao q falas sobre os grandes partidos... e' normal. Para um grande partido, a CML e' tao ou mais importante que uma pasta importante no governo.